SM.png

©Elisabeth Vieira Alvarez

SOLOS MULTIPLICADOS é um projecto de cruzamento entre dança contemporânea e dança inclusiva. 10 criadores x 10 intérpretes com e sem deficiência onde cada um assume de forma igual, recíproca e partilhada o papel de coreógrafo e intérprete. Um denominador comum - a construção de um corpo e de um palco plural. O programa com curadoria e coordenação artística do coreógrafo Rafael Alvarez apresenta uma série de dez solos com coreografia e interpretação de Ariadne Uria, Daniela Reis, Diana Niepce, Diana Tomé, Cristina Tavares, Frederico Augusto, Inês Cardoso, Joana Martins, Mariana Rodrigues, Sofia Santos e Rafael Alvarez, apresentados sob a forma de espectáculo-instalação coreográfica, numa multiplicação de corpos, sentidos, identidades e poéticas de movimento - um manifesto para um corpo plural. 

 

O projecto co-produzido pela BODYBUILDERS | Rafael Alvarez e pela Plural_Companhia de Dança/Fundação LIGA em parceria com a Escola Superior de Dança, Carpintarias de São Lázaro,  Palácio Nacional da Ajuda/Direcção-Geral do Património Cultural e ANACED, é co-financiado pelo Programa Arte sem Limites da Direcção-Geral das Artes/Ministério da Cultura em parceria com a Acesso Cultura. Reúne um colectivo de artistas com e sem deficiência/diversidade funcional, jovens criadores, finalistas e recém-licenciados da Escola Superior de Dança e outros artistas convidados com percurso estabelecido na dança contemporânea, promovendo para alguns dos criadores envolvidos a oportunidade de direcção e apresentação das suas primeiras obras coreográficas. 

 

SOLOS MULTIPLICADOS lança o desafio para uma mudança do contexto e do paradigma das artes performativas e da dança contemporânea em Portugal, criando oportunidades em contexto profissional para o apoio, capacitação, consolidação e surgimento de novos criadores com deficiência e por outro lado contribui para uma mudança de atitudes e práticas artísticas que promovam uma real inclusão e uma efetiva pluralidade na comunidade artística e na oferta cultural, valorizando a diversidade humana como capital artístico. A partir das identidades, das experiências e das singularidades de cada criador e das suas perspectivas sobre o mundo, partilham-se diferentes visões estéticas e éticas sobre um corpo inclusivo, mas não exclusivo e de uma dança mais democrática e acessível.

 

É urgente desarrumar a ordem estabelecida nos circuitos de programação artística que se encontram (ainda) praticamente inacessíveis e fechados a artistas com deficiência/diversidade funcional e artistas emergentes. Romper com este sistema alheado da diversidade e da representatividade de outros corpos e de outras vozes e da pluralidade de identidades e de visões artísticas assume-se também como corpo político. Pensar, criar, incluir e transformar a partir do lugar do corpo. Este é o nosso manifesto, uma multiplicação de corpos e mundos para um palco mais plural.

 

Ficha Artística e Técnica

 

Curadoria e Coordenação Artística: Rafael Alvarez

Co-criação, Coreografia e Interpretação (elenco versão estreia): Ariadne Ferrufino, Daniela Reis, Diana Niepce, Diana Tomé, Cristina Tavares, Frederico Augusto, Inês Cardoso, Joana Martins, Mariana Rodrigues, Sofia Santos e Rafael Alvarez

Interpretação versão reposição: Daniela Reis, Diana Niepce, Diana Tomé, Cristina Tavares, Frederico Augusto, Inês Cardoso, Mariana Rodrigues, Rafael Alvarez e Tanyel Viegas (em substituição de Joana Martins e Sofia Santos)

 

Direcção Técnica e Desenho de Luz: Nuno Patinho

Assistência de Ensaios: Inês Cardoso

Instalação Cenográfica e Coordenação de Guarda-Roupa: Rafael Alvarez

Produção: Cristina Passos e Rafael Alvarez

Gestão Financeira: Sara Lamares

Assessoria de Imprensa: Mafalda Simões

Fotografia: Elisabeth Vieira Alvarez

Registo e Edição Video: Bruno Canas

 

Co-produção: 

BODYBUILDERS | Rafael Alvarez & Plural_Companhia de Dança/Fundação LIGA

 

Parcerias: Palácio Nacional da Ajuda/Direcção-Geral do PatrimónioCultural, Carpintarias de São Lázaro, Escola Superior de Dança, Anaced - Associação Nacional de Arte e Criatividade de e para Pessoas com Deficiência, Antena 2

 

Co-financiamento: Programa Arte sem Limites - Direcção-Geral das Artes/Ministério da Cultura

______________________________________________________________________________________________________________________

 Programa / Folha de Sala   (clicar)

Notas biográficas

Ariadne Ferrufino |  Bailarina de 26 anos, aluna do Curso de Licenciatura em Dança da Escola Superior de Dança. Mudou-se para Lisboa da Áustria para seguir o sonho de estudar Dança no País da ‘boa luz’. Quando não dança, escreve, lê livros ou faz bolos veganos. Uma viajante que adora aprender línguas e traduzir as próprias experiências em movimento e texto.

Cristina Tavares | Nasceu em Lisboa em 1995. Integra a Plural_Companhia de Dança como bailarina desde 2019 tendo integrado diferentes apresentações e espetáculos desde então sob direção do coreógrafo Rafael Alvarez com quem inicia a sua formação e aproximação à dança contemporânea e inclusiva. Iniciou a sua experiência em dança contemporânea em 2018 participando nas aulas regulares do Atelier de Dança Contemporânea e na formação avançada dos labs de criação em dança inclusiva, integrado no programa de actividades artísticas da Casa das Artes da Fundação LIGA.

Daniela Reis | Nasce em 1986 um dos seres mais inconformados do planeta. A menina 'anti', com problemas de autoridade e de sociabilidade, esgueira-se à norma como umlagarto basilisco-comum (curiosamente também conhecido por jesus christlizard) e não o faz nem por caprichoso ou gozo, fá-lo por um qualquer problema digno de análise psiquiátrica. Artista de (a)variações, escritora do que calha, D. Morganiça Reis a menina-mulher Mowgli faz vénias para vosso deleite.

Diana Niepce é bailarina, coreógrafa e escritora. Formou-se na Escola Superior de Dança e fez Erasmus na Teatterikorkeakoulun (Helsinquia). Criadora de várias peças, entre as quais “Anda, Diana” destacada como um dos melhores espetáculos de 2021 pelo Jornal Expresso. Enquanto bailarina e performer colaborou com o Bail-Moderne da Companhia Rosas, Felix Ruckert, Willi Dorner, António Tagliarini, Daria Deflorian, La fura del baus, May Joseph, Sofia Varino, Miira Sippola, Jérome Bel, Ana Borralho e João Galante, Ana Rita Barata e Pedro Sena Nunes, Mariana Tengner Barros, Rui Catalão, Rafael Alvarez, Adam Benjamin, Justyna Wielgus. Actualmente colabora de forma independente com a companhia polaca Teatr21, Cim companhia de dança, Plural Companhia de Dança, e de forma regular com os artistas Bartosz Ostrowsky, Mariana Tengner Barros e Rui Catalão. Directora artística da formação em artes performativas para artistas com deficiência na BBL Marvila/CML. Em conjunto com a literatura trabalha sobre a linguagem em torno do corpo enquanto objecto político.

Diana Tomé | Nasceu em 2001 em Torres Vedras. Começou a dançar aos 3 anos de idade, mas foi aos 9 anos que entrou para o seu grupo de dança no âmbito de atividade extracurricular. Aos 13 anos começou a ter aulas de hip hop com o professor e bailarino Miguel Ângelo na Academia ATV. Em 2016, entrou na Escola de Dança Movimento e teve como professores, Dário Pacheco em contemporâneo, João Cabaça em hip hop e Maria Borges em clássico. Participou numa residência artística com as coreógrafas Maurícia Neves e Joana Castro em 2018. Em 2019, entrou para a Escola Superior de Dança em Lisboa, estando a concluir o último ano de licenciatura.

Frederico Augusto | Nasceu em Lisboa em 1982. Integra a Plural_Companhia de Dança como bailarino desde 2007. Iniciou a sua experiência em dança contemporânea participando nas aulas do Atelier de Dança Contemporânea integrado no programa de actividades artísticas da Casa das Artes da Fundação Liga. Neste mesmo contexto tem vindo a integrar vários dos projetos coreográficos desenvolvidos pela Plural_Companhia de Dança. Foi intérprete nos espetáculos da Plural_Companhia de Dança destacando as criações mais recentes: “UN TSUGI  de Rafael Alvarez (2021, Carpintarias de São Lázaro) e “No Silêncio da Primeira Onda” Rafael Alvarez (2019, Teatro Municipal São Luíz), “Isto não é o meu Corpo (2017, de Diana Niepce Bastos e Melánie Ferreira), "MORFME" (2016, de Diana Bastos Niepce e Vitor Bobetic), “Neste lugar, à mesma hora” (2015, de Rafael Alvarez, Miami/EUA) e IDENTITY sob direção de Rafael Alvarez/Plural, Sandra Battaglia/Amalagama e Karen Peterson’s (2016, Miami/EUA). Integrou ainda como interpretes diferentes espectáculos da Plural com coreografias de Diana Sábio, João Cardoso, Tiago Correia, Joana Fernandes, Filipe Pereira, João Pereira, Bibiana Figueiredo, Bruno Rodrigues, Carolina Rocha, Carla Ribeiro, Andreia Roque, Francisca Pinto entre outros. 

Inês Cardoso | Recém-licenciada pela Escola Superior de Dança, iniciou o seu percurso em dança nas modalidades de Jazz Moderno e Hip-Hop e, mais tarde em Dança Clássica e Dança Contemporânea. Paralelamente à vida profissional dedicada à leccionação de aulas e área comercial na dança, que levou à partição em vários programas televisivos, enquanto intérprete contemporânea destaca a sua participação em peças como “UN TSUGI" de Rafael Alvarez, "Metamorphosis" de Barbara Griggi, "Em_core" de Yola Pinto. No seu percurso contactou com nomes como Marco da Silva Ferreira, Rita Spider, Liliana Garcia, Sylvia Rijmer, Helder Seabra, Peggy Konik, Anthony Lee, Mike Song, entre outros. 

Joana Rangel Martins | Nasceu em 2001 em Aveiro. Praticou Ginástica Rítmica dos 5 aos 13 anos. A partir deste periodo iniciou o seu percurso na Dança em contemporâneo e break dance. Participou na Companhia Jovem Dancenter, onde integrou como intérprete a peça "Frágil" criada por Liliana Garcia.Frequentou o Curso Intéprete de Dança Contemporânea da Escola de Artes Performativas Art'J onde criou a sua primeira peça "FUSOLIEDO". Atualmente frequenta o último ano do curso Licenciatura em Dança da Escola Superior de Dança. 

Mariana Rodrigues |  Dança desde os cinco anos de idade. Formada pela Escola Superior de Dança (2014) e também em Circo pela Carampa Circus School (Madrid). Necessidades e escolhas tornaram-se mais urgentes à medida que a sua visão degenerava em perda total. Adaptou-se aos obstáculos, transformando-os em ferramentas transformadoras e de crescimento, permitindo-lhe partilhar a sua experiência como bailarina cega. As suas experiências profissionais incluem colaboracão como intérprete com Peter Michael, Amélia Bentes e Bernardo Gama e também teve formação intensiva com a companhia de Wyn Vandekeybus entre outros criadores. Agora, nas suas aulas, explora essencialmente os sentidos respirando e trazendo autoconsciência para o corpo presente. Através do seu olhar interior ampliado, aprendeu a simplesmente testemunhar cada novo encontro.

Rafael Alvarez | Coreógrafo e intérprete, cenógrafo e figurinista, investigador e professor. Os seus espectáculos de dança têm sido apresentados desde 1997 na Europa, América do Sul e América do Norte, Médio Oriente, Ásia e África. Ao longo dos últimos 25 anos a obra coreográfica de Rafael Alvarez revela uma forte dimensão visual, destacando-se pelo uso enigmático, simbólico, poético e minimalista do corpo, da dança e do espaço. Tem investido de forma aprofundada, na relação da Dança com a Comunidade e na dimensão colaborativa da prática artística de diálogo e intervenção com o mundo, dirigindo diversos projectos de carácter inclusivo e de formação artística, envolvendo estudantes e profissionais de dança, maiores de 55 anos e seniores, pessoas com deficiência, pessoas com Parkinson, Alzheimer e outras doenças neurodegenerativas e artistas em geral. É professor de dança contemporânea e inclusiva em Lisboa, Porto e Paris. Fundador e director artístico da BODYBUILDERS | Rafael Alvarez, estrutura de produção e difusão de dança contemporânea. Co-fundador da ANKA Companhia de Dança Inclusiva de São Tomé e Príncipe. Doutor em Comunicação, Cultura e Arte - Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, UALG. Pós-graduado em Ciências da Comunicação – Cultura Contemporânea – Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade. Nova de Lisboa. Formado em Realização Plástica do Espectáculo e em Teatro e Educação - Escola Superior de Teatro e Cinema/IPL. Investigador Integrado CHAIA – Centro de História de Arte e Investigação Artística (UE).

Sofia Santos | 22 anos e natural de Setúbal. Sempre teve interação com diferentes áreas artísticas passando principalmente a música e a dança, mas sempre mantendo ligações com outros ramos artísticos como a moda, a pintura, o teatro, a ginástica rítmica e as artes circenses. Focandpo-se actualmente na dança, desenvolvendo a sua linguagem de movimento e aprofundando a sua técnica, enquanto se lança em diferentes projectos. Atualmente frequenta o último ano do curso Licenciatura em Dança da Escola Superior de Dança. 

SOLOS MULTIPLICADOS

de BODYBUILDERS | Rafael Alvarez

& Plural_Companhia de Dança

10 solos de dança contemporânea e inclusiva com coreografia e interpretação de

Ariadne Ferrufino, Daniela Reis, Diana Niepce, Diana Tomé, Cristina Tavares, Frederico Augusto, Inês Cardoso, Joana Martins, Mariana Rodrigues, Sofia Santos, Rafael Alvarez e Tanyel Viegas (em substituição de Joana Martins e Sofia Santos)

 

reposição

quarta, 20 Abril, 19:00

Sala D. Luís, Palácio Nacional da Ajuda

reservas fundacaoliga@fundacaoliga.pt

- Não é possível adquirir bilhetes na bilheteira do Palácio da Ajuda sendo necessário reservar e adquirir antecipadamente os bilhetes através do email fundacaoliga@fundacaoliga.pt

(lotação limitada)

estreia

17, 18 e 19 de Março, 21:00

quinta, sexta e sábado

20 de Março, 16:00

domingo

Carpintarias de São Lázaro 

Rua de São Lázaro 72, Lisboa

 

Bilhetes normal: 10 euros

Bilhete c/ desconto: 5 euros 

- desconto para pessoas com deficiência mediante apresentação de atestado multiusos e acompanhante;

- desconto para clientes e colaboradores da Fundação LIGA;

- desconto comunidade escolar da Escola Superior de Dança mediante apresentação de comprovativo

 

Reservas: reservas@csl-lisboa.pt

+informacões:

www.bodybuilders.pt/solos-multiplicados  

Espectáculo com percurso no espaço, sem plateia fixa. O público poderá circular livremente durante o espectáculo (cadeiras disponíveis)

M/6

Duração aproximada: 60 minutos

(acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida)

Sobre a Plural_Companhia de Dança

 

A Plural é uma companhia de dança inclusiva com um percurso pioneiro de mais de 26 anos apostando na criação, pesquisa, formação, sensibilização e produção de projectos coreográficos, ao nível nacional e internacional, resultando do encontro e colaboração artística entre intérpretes com e sem deficiência, profissionais, estudantes e comunidade da dança. O desafio lançado por cada um dos seus espectáculos promovidos pela Fundação LIGA desde 1995 com apresentações em Portugal, Espanha, Itália, Reino Unido e Estados Unidos, é o de pensar e reinventar a Diversidade Humana através do Corpo e da Dança Contemporânea criando oportunidades para um mundo e um palco cada vez mais plurais. Organiza ainda formação regular em Dança Inclusiva (aulas regulares, laboratórios e workshops) dirigidos a participantes com diversidade funcional, estudantes e profissionais da áreas da dança, reabilitação e inclusão social.

 

www.fundacaoliga.pt 

 

Sobre a BODYBUILDERS | Rafael Alvarez  

 

BODYBUILDERS | Rafael Alvarez é uma estrutura de pesquisa, mediação e criação artística criada em 2016 em Lisboa com foco nas dimensões do corpo, da dança contemporânea e da linguagem coreográfica, no cruzamento com outras áreas artísticas e de pensamento-acção. A sua actividade centra-se na produção e difusão do trabalho do coreógrafo/intérprete Rafael Alvarez e do seu percurso profissional de mais de 25 anos, assente numa dinâmica de parcerias e colaborações com outros criadores e outras estruturas de criação, produção e programação em Portugal e a nível internacional. Para além das vertentes de criação e investigação artística, a BODYBUILDERS investe de forma aprofundada e continuada no desenvolvimento de projectos de diálogo e intercâmbio com públicos alargados na aproximação da Dança Contemporânea à Comunidade, no desenvolvimento e formação de públicos e na formação artística, envolvendo – maiores de 55 anos e seniores, crianças e jovens, pessoas com deficiência/diversidade funcional, não-profissionais, estudantes do ensino superior artístico e vocacional e artistas em geral, nas actividades de formação/criação dirigidas por Rafael Alvarez e co-organizadas pelos seus parceiros. Desde a sua constituição, A BODYBUILDERS tem contado com o apoio pontual e co-financiamento da Direcção-Geral das Artes/Ministério da Cultura, Fundação Gulbenkian, Fundação GDA e Instituto Camões, Fundação Belmiro de Azevedo, entre outros, para a prossecução de diferentes projectos de criação, formação e circulação internacional, para além de contar com protocolos de parceria regular com a Fundação LIGA e Escola Superior de Dança, entre outras entidades. Entende e promove a prática e experimentação artística como espaço plural de intervenção, reflexão e questionamento apostando numa dimensão estética, ética e política do Corpo, como elemento de transformação/interpelação do mundo, agente de mudança de paradigmas e realidades. 

BODYBUILDERS – corpo em construção, corpo em diálogo.

 

www.bodybuilders.pt 

Captura de ecrã 2022-04-07, às 21.53.03.png
Captura de ecrã 2022-04-07, às 21.52.46.png
Captura de ecrã 2022-04-07, às 21.52.46.png
Captura de ecrã 2022-04-07, às 21.53.21.png
Cartaz SM jpg.png
Captura de ecrã 2022-04-07, às 22.00.09.png